A música: “conheço meu lugar” no contexto da política guamareense.

Neste post vou usar como base a letra da música “conheço meu lugar” do Saudoso poeta cearense Belchior para fazer uma reflexão sobre nosso lugar, Guamaré, à luz da política. Então, venha comigo nas próximas linhas.

O que podemos fazer? Nós sabemos que a luta por justiça, igualdade e liberdade é muito árdua. Tentar de alguma forma mudar e inaugurar uma vida livre implica em travar uma grande batalha muitas vezes inglória.

Porém, como diz Mano Brown dos Racionais: “a liberdade se ganha um dia por vez”. Hoje, vemos a juventude mais engajada com propósito de mudar, então, espero que verdadeiramente o resultado seja positivo.

Não é de se admirar que em época de eleição, eles (os atuais políticos) nos tratem como gente, mas o que não podemos esquecer que passaram 4 anos nos tratando feito cães sob a luz da lua, é claro, aos pontapés, por isso, cá estamos te alertando e dizendo que, às vezes, é preciso voltar ao passado para fazermos boas escolhas no presente.

Eles virão com as mesma história porca, as mesmas desculpas, as mesmas promessas. Não deixemos enganar por demagogos que não querem o bem do nosso povo, mas apenas para si mesmos.

Portanto, mais uma vez concordo com Belchior, não há motivo para comemorar. A manutenção do sistema é nossa derrota. Então, o que fazer?

Não basta apenas pensar positivo. É necessário ter voz ativa. Não quero acreditar que nosso povo se conforme com a mediocridade. Vejamos que as amarras que nos prendem a esse sistema corrupto e corruptor representa o atraso da nossa cidade.

Uma prova disso é que somos muitas vezes tratados com descaso. Enquanto um seleto grupo desfruta das benesses do poder, a maioria vive em situação precária. Isso tem que ser mudado. Por isso, sou oposição, sem que essa palavra não soa bem, mas espero que você entenda: uma Guamaré melhor depende da nossa luta por igualdade social.

A desigualdade não é uma ficção. Assim, ignorar essa realidade é impedir as pessoas o acesso à igualdade ou pelo menos a luta por ela. Isso é o mesmo que querer que as pessoas que vivem em completo abandono enxergem o belo mesmo estando com os olhos obtusos pela falta de quase tudo que o ser humano carece.

Concluo essa breve reflexão na qual usei algumas referências à Belchior para expressar o meu sentimento em relação ao abandono como política de governo. Apesar de toda injustiça que existe nós sabemos qual é o nosso lugar e não importa quanto tempo passe continuaremos lutando pelo que é justo, isto é, uma Guamaré livre e com igualdade social para todos.

Ps: espero que, assim como eu, você se torne admirador das letras de Belchior e veja quanto elas têm para nos ensinar. Lembre-se: sua experiência com a arte certamente será ser diferente da minha. Abraços.

Publicado por Orlando Lima

Sou servidor público, casado, pai de Davi, administrador e especialista em Gestão de Projetos. Faço arte digital no meu tempo livre além de desenvolver conteúdo sobre administração e áreas afins.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: